sábado, 26 de junho de 2010

A insustentável leveza do ser.

Um livro excelente e que foi uma das minhas leituras recentes. É um romance de Milan Kundera - escritor nascido na República Tcheca e que depois de 46 anos emigrou para a frança .Foi o primeiro livro que li deste autor, talvez por ser a sua obra mais famosa? não sei, mas sei que foi o suficiente para que meu interesse nele crescesse. Quatro personagens protagonizam essa história: Tereza e Tomas, Sabina e Franz, que por interferência do acaso - ou destino? - e por forças de suas escolhas, cada um deles experimenta, de sua forma, o peso insustentável que dirige a vida.
Temos não só como ponto de partida a traição, como também o ponto que atrai os quatro personagens.Tomas é médico, teve um filho e uma ex-mulher que após o término de seu casamento decidiu ter uma vida mais leve, ou seja, não se comprometer com nenhuma mulher - gostava de ter relações com várias, embora não se envolvia emocionalmente. Esse estilo de vida era a sua leveza que não o permitia ter questões amorosas, o que poderia ser um fardo/peso para ele.
Entretanto, após conhecer Teresa sua vida muda.Ele sente-se ligado emocionalmente à Teresa e passa a viver com ela, apesar de continuar com seu antigo hábito - o de sair com várias mulheres. Teresa, por sua vez, ama Tomas e não consegue se imaginar vivendo sem ele, até que suas traições a puxam para um profundo vazio. Teresa morava com sua mãe e seu padrasto, odiava tudo que estivesse relacionado a sua mãe, principalmente seu modo de se comportar diante dos outros e o modo como expunha seu corpo sem pudor e, então, o que mais Teresa desejava era trair tudo que sua mãe lhe ensinou e esquecer totalmente a vida que teve e para isso necessitava de Tomas.
Sabina era pintora e tinha uma relação até que duradoura com Tomas. Duradoura sim, embora sem emoções envolvidas, já que Sabina era quase como a versão feminina de Tomas, pois não se permitia envolver-se profundamente com outra pessoa. Ao conhecer Franz ela percebe seu estilo leve de viver fica ameaçado. Franz é casado e trai sua mulher com Sabina. Sabia repugnava a ideia de fidelidade, já que lembrava seu pai puritano e da mesma forma que Teresa renegava a mãe, Sabina renegava seu pai e sua familia.
O que parece leve acaba se tornando insustentavelmente pesado de ser manter. A vida que Tomas julgou ser leve acaba tornando-se pesada quando ele percebe que havia ser tornado "escravo" dessa situação e que queria ser livre para poder fazer feliz Teresa. Já a traição a mãe que Teresa tanto objetivava só tornou-se em um caminho pesado por angústias e rancores.
O que vale salientar, ainda, é uma teria de que segundo Nietzsche a vida é um eterno retorno, porque precisamos e/ou temos a obrigação de errar e voltar a errar quantas vezes forem necessárias desde que não cometamos o erro primário humano de levarmos uma vida dentro de um ciclo de mesmices. Teoria curiosa e que convence, em suma, levarmos uma vida que valha a pena ser vivida!
Um texto simplório, a princípio, apenas para indicar o livro mesmo. Procurando rapidamente na internet, vejo que esse livro ganhou uma adaptação no cinema por Philip Kaufman e que levou o título de "The Unbearable Lightness Being".Gostaria de voltar a comentar do livro e seu respectivo filme, uma vez que conferido por mim, mas por enquanto, gostaria da sua opinião se já leu o livro e/ou viu o filme, como também o que seria a insustentável leveza do ser para você?!

11 comentários:

seuvicio disse...

Ah, um dia desses eu leio.

Wander Veroni disse...

Não li o livro, nem vi o filme. Mas pela sua resenha parece ser uma obra que valha a pena ser conferida. Abraço

Thiago (PapoGaudério) disse...

Tbm não li nem vi! mas cara, vc tem uma excelente avaliação das coisas meu!O.O ja to te seguindo aki ja !^^

"A vida é um eterno retorno, porque precisamos e/ou temos a obrigação de errar e voltar a errar quantas vezes forem necessárias desde que não cometamos o erro primário humano de levarmos uma vida dentro de um ciclo de mesmices."

Mto bom \o/

Thiago (PapoGaudério) disse...

Ah e ja vou deixar aqui avisado que hj a noite posto mais alguma coisa!
você vai ficar surpreso! \o/
Abrazz!

Chico disse...

não li ainda, mas ja ouvi comentários.

Eli disse...

Oi Cassio,vim retribuir a visita e dizer que ja li o livros.
Realmente vale muito a pena.

Fabricio bezerra da guia disse...

Eu só tinha ouvido falar do filme ,que eu tambem não asssiti e infelizmente não é tão facil de achar

Thiago (PapoGaudério) disse...

Eae brother, esses dias meus amigos estavam comentando sobre esse livro!
parece ser muito bom!
tem novidades la no meu blog!
passa la pra dar uma olhada,espero q goste!

Jário Lima disse...

HAHAHA adorei seu blog e já estou seguindo!

olha, eu fiz um tutorial, para aprender á fazer uma camisa "I ♥ NY" é fácil! veja aqui:
www.kdocafe.blogspot.com

Mate seu professor comigo.com disse...

Não li...e confesso não conhecer o autor, mas parece ser um bom livro. O último que li chama-se "vermes - uma comédia política". Engraçado para quem gosta de criticar política. Um bom passatempo.

=)

www.mateseuprofessor.blogspot.com

susana disse...

Noossa, que triangulo, quadrilatero, hexagono ou qualquer outro poligono nessa relação.. rsrsrsss

Gostei muito da teoria de Nietzsche, acho-a interessantissima: a vida é um eterno retorno.


Espero sua visita e novas postagens por aqui...
um abraço!