segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Anne Frank


Entre tantas coisas a falar, escolhi hoje escrever sobre um livro o qual acabei de ler recentemente e que foi uma experiência única. Este livro chama-se "O diário de Anne Frank".Acredito que muitas pessoas não só já tenham ouvido falar desse livro, como também lido.
Anne Frank nasceu em 1929 na Alemanha, filha de um banqueiro e uma dona de casa, ambos de origem judia.Anne aos quatro anos de idade foi obrigada a sair do país, com a chegada de Hitler no poder, mudando-se para Amsterdã.Encontrando inicialmente uma vida tranquila, só que em 1942 a perseguição ao judeus deflagrou-se também na Holanda.Dessa forma, os pais de Anne juntaram-se com alguns amigos e decidiram se esconder dos invasores alemães.Aos treze anos, ela ganha de presente um diário e o chama de "Kitty", onde começa a relatar os acontecimentos de sua vida.
A princípio, ela age como qualquer garota de sua respectiva idade, fala sobre futilidades, amizades, sua relação com a irmã, discussões corriqueiras com a mãe, entre outros.No entanto, as coisas tornam-se diferentes quando ela se muda para o esconderijo, chamado pelos moradores de "Anexo Secreto"."Kitty" ,então, torna-se seu único instrumento de liberdade - e não só, já que o papel é sempre mais paciente que a pessoas, não é verdade?- e nele descreve as transformações de cada um que no anexo residia com suas respectivas angustias.Ela destaca sentimentos- os quais oscilam como ela mesma dizia "Himmelhoch jauchzend, zu tode betrübt" que quer dizer "No topo do mundo, ou nas profundezas do desespero"-, aflições, o fato de conviver com pessoas nem sempre agradáveis- mais um trecho que me chamou atenção "Você só conhece uma pessoa depois de uma briga.Só, então, é possível julgar o seu caráter!", um comentário bastante perspicaz não é mesmo?-,o fato de não querer compartilhar o seus problemas com outras pessoas - é aí que ela escreve "tento rir porque não quero que vejam meus problemas", quantas vezes você não já fez isso? - esperança, fé, sexualidade, amor e pequenas alegrias de uma vida incomum.
Anne tinha uma mentalidade forte e difícil de lhe dar, - Aqui vai um trecho,"Sábado, 30 de Janeiro de 1943, Quando falo, todo mundo acha que estou querendo aparecer, que sou ridícula quando estou quieta, insolente quando respondo, inteligente quando tenho uma boa ideia, preguiçosa quando estou cansada, egoísta quando como um pouco mais que deveria, imbecil, covarde, calculista e outros adjetivos" -tem crises temperamentais e existenciais - e quem não já teve a sua?-, mas cresce, admite seus erros, seu temperamento difícil e amadurece.Ela tem saudades do passado, do tempo anterior a vida no esconderijo, tem o desejo de liberdade, de fazer coisas como andar de bicicleta e de passear ao ar livre - ela admirava muito a natureza, a lua, o céu, a brisa sempre que podia - e de estar com os amigos.
O diário de Anne Frank é mais que um livro.É uma lição de vida, um relato emocionante de um dos períodos mais tristes e degradantes da história da humanidade.Um documento que faz o leitor sofrer e torcer junto com os "personagens" e perceber o quão difícil foram àqueles tempos.É uma obra que deveria ser lida por todos, para que a humanidade jamais se esqueça da brutalidade e crueldade cometida e propagada pelo nazismo e para que um episódio como esse não se repita na história e que outros diários como este não seja escrito.

16 comentários:

ibere disse...

VOCE DISSE EU ESTA LIGEIRAMENTE APRESSADO AS DUAS DA MANHÃ? VAI TRABALHAR NA FEIRA? RSSSSok tudo bem, pode comentar num post menor mas nao vale fazer isso sempre... ja li anne frank sim, é um classico !
Ibere

chris disse...

voce deixou comentario em qual post meu?

Mayara Pinheiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mayara Pinheiro disse...

parece ser um livro interessante(:
Parabéns pelo blog

Inez disse...

É um livro excelente, li quando tinha uns 18 ou 19 anos, é uma história real.
Parabéns pelo post.

Francorebel disse...

Já li e adorei, maravilhosa esse história... parabéns por lembrar dela!

simone vauna monteiro disse...

muito bom mesmo gostei muito!
bjuusss.....

Wander Veroni disse...

Olá!

Já li esse livro e tenho ele aqui em casa. É um livro lindo e que nos traz vários reflexões, principalmente sobre esse período histórico abominável. Excelente dica!

Abraço,

http://cafecomnoticias.blogspot.com

Peyton Treborn disse...

quando eu estava na 8ª série, lembro das minhas professoras de História e Português comentando sobre esse livro.
Ainda não li, mas está na minha lista de livros para ler hehe (:
Adorei o post! Medeixou com mais vontade ainda de ler hehe

Aninha
http://thementalmorfose.blogspot.com/

Sequelanet disse...

Já ouvi falar desse livro, deve ser muito interessante mesmo. Foi uma amiga que recomendou.
abs

Myrella Andrade disse...

Incrível esse livro mesmo.
lindo seu blog
beijos!

Amanda Soldi disse...

Eu quero mto ler este livro, mas nunca sobra tempo ....
abraços,

Amanda

Leonardo Ribeiro disse...

Fiquei curioso para ler o livro
Entra no meu blog
Blog Rasgue o Verbo
http://rasgueverbo.blogspot.com/

Doutrina Cristã disse...

ler, escrever, comentar, isso é blogar.
Eu costumo dizer com base em Ap: 22:11. Não preserve em segredo o que você escreve; divulgue. É isso ai.

Estou seguindo seu blog – visite o nosso.
Temos também uma Rede Social Cristã, onde você poderá ter a sua página para divulgar o lindo trabalho do seu blog. Entre em http://doutrinacrista.ning.com/ e seja membro.
Fique na paz de Cristo.
A ideologia não se mantém pelo que você domina, mas com o que você pensa e idealiza (LC).
Grande abraço
Luiz Clédio

GaB. disse...

Estou lendo esse livro agora, e a cada pagina me emociono mais com o amadurecimento precoce de Anne. (:
Estou adorando (:
Beijo.

susana disse...

Poxa, poxa... disse que ia voltar mais vezes e no entanto, nunca mais apareceu? =/

e mais, eu sempre dou uma passadinha aqui. Por que nao tem atualizado seu blog??

Um abraço! e ate mais...